Projeto Caminho, Verdade e Vida

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmailFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

Quando a Palavra de Deus é o principal na educação, a família e a sociedade são as vitoriosas.” Pierre-Marie Duval

Crianças e adolescentes

Missão: Promover a participação social e política de crianças, adolescentes, jovens e suas famílias em situação de vulnerabilidade social, ou não, baseada em uma proposta de formação e inclusão cidadã, com realização de intervenções biopsicossocial através de cursos profissionalizantes e ações que visam incentivar a boa formação humana.

Despertar O Fogo Divino nas crianças e nos jovens em suas diversas fases, extraindo a capacidade de agir em benefício do próximo, e tornar-se assim um ser humano completo e cooperador das missões divinas.

A criança e o jovem serão selecionados de acordo com o grau de vulnerabilidade social e risco, seguindo critérios da PNAS (Política Nacional de Assistência Social – 2004), que pressupõe a centralidade na família e a importância do caráter sócio-assistencial das ações, com o objetivo de desenvolver contextos de proteção social familiar e comunitária. (PNAS – anexo)

O Objetivo da Nova Palavra é desenvolver outras áreas que não são trabalhadas na escola, proporcionando novas perspectivas e visões do local onde reside e do mundo para as crianças e os jovens. Sendo algumas delas para todos as fases da educação, tais como:

  • atividades de expressão oral e escrita, cultural, artística e corporal;
  • educação para o trabalho;
  • modalidades esportivas, sob os princípios de Esporte Educacional (cujo foco é a ampliação e o desenvolvimento de capacidades e habilidades indispensáveis ao desenvolvimento humano);

A proposta, no futuro, é criar uma Educação Integral prevendo uma atuação conjunta dos educadores, que atuam diretamente com os educandos, e da área de assistência social, responsável pela mobilização e integração das famílias e da comunidade.

Aparentemente estamos criando um Projeto que visa apenas crianças carentes e que se enquadram no critério do PNAS (onde ficam as nossas crianças? Há de alguém perguntar) mas , na verdade, não se prepara um cidadão para enfrentar as vicissitudes do mundo em que vivemos sem que este conheça as dificuldades desse mundo, desde tenra idade. Para que as nossas crianças agradeçam o que recebem de seus pais, elas devem conhecer as diferenças e aprender a conviver com elas. Compreenderemos se os pais que fazem acontecer à Nova Palavra não colocarem seus filhos nesse projeto. Temos uma certeza, só essa criança e essa família é que sairão perdendo.

 

Unidade de Formação da Criança Divina (UFCD)

Atuação: As ações estarão voltadas para crianças de 5 a 11 anos agrupadas por faixa etária, que será denominada de Unidade de formação da Criança Divina (UFCD).

As faixas etárias seguirão o determinado pela LDB (Lei de Diretrizes de Base, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.)

 

Da Educação Infantil (Até seis anos completos)

“Muitos estudos vêm mostrando a importância desse período para o lançamento dos alicerces de um desenvolvimento integral, sadio e harmonioso da criança, do jovem e do adulto. A produção acadêmica sobre o tema tem aumentado, bem como também a consciência da necessidade de uma política de educação infantil, integrada e articulada nas três esferas de governo: União, estados e municípios.” (FONSECA, 1999:198)

A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. Para que a educação infantil seja possível será necessária a estrutura que se segue:

  1. creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade;
  2. pré-escolas, para as crianças de quatro a seis anos de idade.

Na educação infantil, a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental.

As crianças nesta fase de idade estarão sendo recebidas para aprender “brincando” a cuidar de si mesmo e da família.

  • Promover o desenvolvimento psico-social-afetivo e cognitivo da criança, por meio de atividades lúdicas e recreativas.
  • Estimular a inteligência, a criatividade, a autonomia e a sociabilidade.
  • Estimular a religiosidade, sem, contudo, estar conflitando com o “caminho religioso” escolhido pelos pais.
  • Reflexão das situações geradoras de conflitos em casa e na escola.
  • Estimulando a interação entre pais e filhos e orientando os pais na superação das dificuldades emocionais e de aprendizagem.
  • Cuidados alimentares, inclusive gerar possibilidades de alimentação, não só na Nova Palavra, como também para a família, com criação de Cestas básicas.
  • Cuidados com a saúde da criança.

É importante ressaltar que na primeira fase do projeto não estaremos recebendo crianças nesta faixa etária. Entretanto, far-se-á necessário uma preparação para este momento. Receber crianças nesta faixa de idade proporcionará uma formação mais completa.

 

Inclusão da criança na sociedade (Sete a dez anos)

Esta faixa etária de sete anos a dez anos estará subdividida em grupos que receberão avaliação semestral para analisar o seu desenvolvimento e se está apta, independente da idade, de avançar para participação em outros grupos mais avançados.

Estas crianças estarão recebendo ensinamentos do como estar se preparando para viver em uma sociedade que exigirá mais do que tem a oferecer, e o quanto a família será importante em todas as fases de sua vida.

  • Trabalhar com crianças nesta faixa etária, auxiliando nos problemas de aprendizado, por meio de ações pedagógicas e culturais (reforço escolar, dança, teatro musical, biblioteca, Idiomas);
  • Desenvolver a capacidade de reflexão ligada aos direitos e deveres das crianças por meio de estudo e oficinas de arte para plena compreensão, capacidade de debates e multiplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • Desenvolver a visão da criança no “mundo da religião”, ativando, com palavras de fé, e de forma pedagógica a sua religiosidade, o seu Fogo Divino (relação com Deus) possibilitando que ela comece a enxergar que vive em um “mundo de ilusões” e que é importante para seu desenvolvimento espiritual e social viver no “caminho da verdade da vida”. Se o primeiro o aproxima dos vícios e das paixões humanas, o segundo o afasta desses males e o aproxima de Deus.
  • Trabalhar com crianças e suas famílias visando a resolução do problema. Através de ações pedagógicas e culturais (Oficinas focadas no desenvolvimento pedagógico);
  • Atividades na Biblioteca, leitura, interpretação e elaboração de texto.
  • Atividades Culturais com visitas a museus, teatros, cinema e espaços turísticos.
  • Inclusão digital: Oficinas de informática educativa visando o conhecimento de novas tecnologias facilitando a inserção no mundo atual.
  • Cuidados alimentares.
  • Cuidados com a saúde, médicos, dentistas, psicólogos, entre outros.

Nas diversas etapas e faixas etárias deverá ser considerada a criação de grupos de meninas e meninos, para que sejam abordados de forma pedagógica, sem constrangimento, os cuidados e as necessidades inerentes a cada sexo. Deverão ser reagrupadas nas atividades afins.

 

Unidade associação de Jovens (UAJO) 

Atuação: Jovens de onze a vinte e cinco anos também agrupados por faixas etárias, que será denominada de Unidade associação de Jovens (UAJO).

 

Pré-adolescência. Dos onze aos quatorze anos (Jovem Iniciante – JOVI)

Esta Faixa etária, que é considerada pela ONU como uma fase pré-adolescente, irá requerer dos grupos envolvidos atenção especial, já que é uma idade onde se faz, principalmente na menina, uma passagem para o ser mulher. Para os meninos, segundo especialistas na área, é uma passagem da criança para a puberdade.

Para a criança que chegou a esta fase recebendo informações na UFCD, (Unidade de Formação da Criança Divina) ficará mais fácil a abordagem, entretanto, aquela que chegou já com a idade para entrar neste grupo, o cuidado deve ser redobrado.

Nesta faixa etária, o ensino religioso, com suas variações, e a importância do FOGO DIVINO, já se fará necessário para uma formação do conceito religioso da Nova Palavra. Os jovens receberão o primeiro grau iniciático, e serão chamados de jovem iniciante – Jovi.

Não recebe este título apenas por estar sendo iniciado no processo religioso do Fogo Divino, mas, sobretudo, por estar sendo preparado para a fase seguinte, que é de inclusão profissional.

Nesta fase, os jovens devem receber os seguintes ensinamentos:

  • Promover o desenvolvimento psico-social-afetivo e cognitivo por meio de atividades recreativas;
  • Promover cursos para inclusão digital, agora voltado para o conhecimento das técnicas de uso da Informática como ferramenta profissional;
  • Movimentar o grupo para participação nas atividades sociais da Nova Palavra;
  • Promover cursos de preparação para a profissionalização dos jovens, com base em suas aptidões e sonhos;
  • Promover atividades artísticas para motivação dos jovens que têm aptidão para a arte;
  • Promover eventos sociais para manter a chama acessa na busca de seu próprio caminhar;
  • Promover palestras com especialistas nas várias áreas, buscando a inclusão social do jovem; tais como: sociologia, música, sexualidade, cuidados com as drogas, segurança, política, cidadania, ética, entre outras;
  • Promover encontros com a família, na busca incessante de entender e agir nas causas do desequilíbrio familiar, caso eles existam;
  • Iniciar a preparação desses jovens para assumirem cargos públicos, políticos, ou ainda, cargos na própria administração e litúrgica da Nova Palavra;
  • Cuidados especiais com a alimentação e saúde dos jovens e família.

Retirar esses jovens das ruas e manter acessa a vontade de aprender a ser um cidadão será o grande desafio da equipe que deverá assumir essa área de ensino na Nova Palavra.

 

Adolescência. Dos quinze aos dezoito anos (Jovem Aprendiz – JOAP)

Esta Faixa etária é considerada pela ONU como uma fase adolescente (até o vinte anos), mas nós vamos considerar até dezoito anos, que é a idade que o jovem alcança a maioridade, segundo as leis do país. Esse grupo irá exigir dos profissionais envolvidos desafios diários, pois essa é uma idade em que o jovem quer encontrar outros caminhos; quer enfrentar desafios novos; quer transigir princípios.

Todos os cuidados já descritos para o Jovi cabem como manutenção para esse grupo, acrescentando alguns tópicos de vital importância em sua inclusão social.

  • Atividades de capacitação a partir dos 15 anos na condição de aprendiz;
  • Incentivo a busca e descoberta de talentos para o futuro profissional;
  • Recebe o curso do Fogo Divino e de acordo com seus Dons e interesse pode ser designado para participar de atendimentos no Fogo Divino;
  • Poderá já estar participando simultaneamente da Escola de formação do Espírito, como iniciando.
  • Após os dezesseis anos, inclusão profissional como “Menor Aprendiz” ou como “Estagiário” em áreas de sua escolha para auxiliar nos estudos e no sustento da família.

 

Jovem. Dos dezenove aos vinte e cinco anos 

Se passou pelas fases anteriores, poderá já estar na Escola de formação do espírito como iniciado. Se não, será encaminhado a Escola como iniciando e não participará do Departamento da Juventude.

A sua participação no Departamento de Juventude só será considerada e definida caso exista uma necessidade de continuidade para auxiliar na formação dos jovens ou das crianças, caso contrário, ao completar dezenove anos não fará parte do Projeto CAMINHO, VERDADE E VIDA.

 

A Participação da família

Em todos os grupos, é importante que nas reuniões de pais, aconteça o incentivo da participação da família nos projetos da Nova Palavra, a fim de auxiliar no Departamento da Infância e Juventude na capacitação dos jovens.

Principalmente no projeto “Mãos que ensinam”, que tem como objetivo criar um grupo de mães e país que têm uma profissão e que venham ensinar aos jovens.

Este projeto, “Mãos que ensinam”, poderá ser um dos pilares de sustentação para o Departamento da Infância e Juventude.

Por exemplo:

  • Criação de equipe de mães produtoras na área de artesanato e culinária. Confecção e venda de produtos, objetivando recursos para geração de renda para os participantes e para a sustentação do Projeto;
  • Pais pedreiros, pintores, engenheiros, analistas de sistemas, programadores, profissionais da área de Marketing, vendas, designer, enfim, que tenham uma profissão que poderá ensinar aos jovens, auxiliando na sua inclusão profissional e social.

Caso os pais se neguem a participar do Projeto, deverá ser analisado pela comissão normativa, com reflexão sobre a exposição de motivos da CJ, se a criança ou jovem deve permanecer no grupo assistencial.

A necessidade da participação dos pais deve-se ao fato de que a criança estará na família participando dos problemas que acontecem em seu dia a dia.

 

Estrutura Organizacional

Será formada uma Direção Geral denominada Comissão Executiva CJ, com responsabilidade sobre o direcionamento e aplicação das diversas ações em cada unidade.

A Comissão Executiva CJ estará subordinada à Presidência da Diretoria e ao Presidente do Conselho Normativo, que dirige espiritualmente a Nova Palavra.

A Comissão Executiva CJ será formada por um Diretor Geral, um Coordenador para área da Criança, um Coordenador para a área da Juventude, uma secretária executiva, preletores, pedagogos, professores, divulgadores e equipe de apoio com profissionais das diversas áreas pedagógicas e médicas.

 

Divulgação e eventos

  • A Comissão Executiva CJ da Nova palavra deverá ter uma Fanpage nas Redes sociais, com Site próprio para informação e formação de seus integrantes.
  • Grupo de Divulgadores;
  • Equipes de Animação.

 

Programas

  • Formação cidadã – Comunidade e cidadania;
  • Inclusão social;
  • Formação religiosa;
  • Sexualidade (meninas e meninos);
  • Integração Familiar;
  • Integração com a escola;
  • Integração com escolas esportivas em suas diversas modalidades;
  • Reinserção familiar e educacional;
  • Inserção na capacitação profissional;
  • Línguas;

Enquanto a Comissão Executiva não estiver formada, a direção do departamento estará sob a responsabilidade da Presidência da Diretoria e do Presidente do Conselho Normativo.

Assim como área de divulgação e eventos do departamento estará sob a responsabilidade do Diretor de Divulgação e eventos geral.

 

Recursos

Os recursos para este projeto serão inicialmente gerados por eventos e doações particulares.

No segundo momento, estaremos buscando projetos governamentais e empresariais para montagem estrutural do projeto CAMINHO, VERDADE E VIDA.

A ideia é que este projeto se auto-sustente e ainda consiga gerar recursos para a implantação de novos projetos sociais na Nova Palavra.

 

Profissionalização

Algo que devemos perseguir como propósito em um projeto desta dimensão é a profissionalização dos grupos de apoio.

É importante que inicialmente as coordenações, os professores, instrutores e demais profissionais envolvidos no projeto sejam voluntários, mas à medida que o projeto avançar será importante que toda essa equipe seja remunerada. Com isto, poderemos “cobrar” resultados.

A participação do voluntário é importante em qualquer projeto social, entretanto, é a profissionalização na administração dos resultados que faz com que o projeto cresça.

 

O que você achou do Projeto Caminho, Verdade e Vida?

Deixe seu comentário abaixo e, se você gostou, por favor compartilhe com seus amigos.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmailFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail